Broa de Milho

 

A História

Onde tudo começou

A broa de milho predomina na região Norte, tendo grande importância na melhoria da dieta das pessoas que viveram do trabalho do campo desde o século XVI. As condições de vida dos agricultores eram difíceis e, por isso, a oferta alimentar era restrita, cabendo ao milho a nutrição das populações que viviam e vivem em terrenos com pouca altitude e com muita irrigação, condição favorável deste cereal.

Este produto é também utilizado em contexto de trabalho. Pelas caraterísticas nutritivas que tem, serve com regularidade para saciar os trabalhadores nas vindimas, desfolhadas e outros trabalhos agrícolas que exigem maior desgaste físico.

A transmissão constante e intergeracional do “saber fazer”, foi garantindo o melhoramento da técnica e do conhecimento profundo da confeção do produto que garantem um equilíbrio entre o sabor e os elementos nutritivos. O valor alimentício da broa é de tal forma importante que os mais velhos continuam a invocar a proteção divina através das rezas e sinais da cruz, apelando à confeção correta do produto.
A broa é um alimento consumido no quotidiano. No entanto, tal como outros produtos, revela um caráter festivo, uma vez que é indissociável das sardinhadas dos Santos Populares, sendo igualmente apreciada e acompanhada com outros produtos tradicionais como o presunto, o chouriço e as azeitonas.

descrição

A broa de milho apresenta uma forma circular, ligeiramente achatada. Exibe côdea nas duas faces, sendo a superior fendilhada e estaladiça. O Miolo oferece uma tonalidade morena, não é poroso e apresenta ligeira elasticidade, podendo “esfarelar-se”. Tem um aroma ligeiro e agradável não sendo ácido.

outras denominações

Pão de Milho

 

Ficha de Produto

l

Designação Comercial

Broa de Milho

Tipologia

Pão e Broa

Origem

Norte de Portugal

Condições de conservação e prazo médio de validade

Este produto poderá manter as suas propriedades nutritivas se for devidamente acondicionado num saco de papel, em saco de pano ou em cestos, durante 3 a 5 dias.

Matérias Primas

Farinha Milha, Farinha Triga e Farinha Centeio, Água, sal e massa madre.

O Processo

Processo de Fabrico

“Broa de Milho”

Junta-se na amassadeira a farinha de milho, escaldada em água quente, a farinha de trigo e a de centeio que são amassadas juntamente com água temperada com sal e a massa madre.

Concluída esta operação, a massa é distribuída para estancadores onde permanece, aproximadamente, até duas horas (este processo denomina-se de “estanca”).

Os mais antigos fazem uma cruz no centro, rezando uma oração. Percebe-se que este procedimento está concluído, quando a massa começa a abrir com rachadelas ou fendas, e aumenta de volume.

Posteriormente, a massa é dividida em porções e colocada na emboladeira, um utensílio de madeira utilizado para dar forma á broa.

Alguns produtores tendem as broas com uma malga e viram-na na pá que tem por cima uma couve galega.

De seguida, coloca-se num tabuleiro “enfornador”, polvilha-se com um pouco mais de farinha e vai ao forno, que está previamente aquecido com a temperatura ideal para cozer a broa (240 graus). Normalmente, o tempo de cozedura é de cerca de uma hora e meia.

Fontes
Albano & Filhos
Camipão, SA | Cerepal, Lda
Padaria S. Mamede
DGADR – Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural
Adersousa – http://www.adersousa.pt/broa-do-vale-do-sousa.html